sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Responsabilidade Social

O que é Responsabilidade Social?

Leonor Ramos Chaves*

Vários caminhos podemos tomar para defini-la. Tecnicamente em seu conceito pós-moderno, vem da evolução do conceito de Desenvolvimento Sustentável e sua visão de mundo em três pólos: a economia, o meio-ambiente e a sociedade, mas podemos alocá-la como anterior a esses temas. Ela está ligada à Ética e ao conceito de cidadania.


Etimologicamente a palavra responsabilidade deriva do latim respondere, responder. Segundo o dicionário Aurélio, responsabilidade é “a qualidade de responsável”, que “responde pelos próprios atos ou pelos de outrem”, “que responde legal ou moralmente pela vida, pelo bem-estar, etc; de alguém.” No mesmo dicionário a palavra social designa “o próprio dos sócios de uma sociedade, comunidade ou agremiação: quadro social”, “que interessa à sociedade”. Responsabilidade Social segundo a definição do dicionário seria Responder pelo bem-estar do quadro social ou da comunidade, portanto, está ligada ao processo de cidadania.


Dallari (1998) define cidadania como a expressão de “um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social.” Dallari ainda afirma que: “a cidadania não nos é dada, ela é construída e conquistada a partir da nossa capacidade de organização, participação e intervenção social.” A Responsabilidade Social é instrumento de intervenção social.


Já do ponto de vista da Ética e sendo esta a ciência que problematiza a moral, Responsabilidade Social remete ao que é costume – hábitos ligados às manifestações de cada comunidade através de suas tradições, vivências e crenças e de como estas acontecem no cotidiano. Assim, cada sociedade desenvolve seus valores e princípios suscetíveis à qualificação, considerando o adequado e moralmente corretos, dando-se importância a uma ligação direta entre discurso - a teoria - e ação - a prática -.


Cabe, então, à Responsabilidade Social se assentar sobre os conceitos da Ética, através de uma prática moral condizente com os direitos humanos mais elevados, da promoção da inclusão social ampla – a condição de cidadania – trabalhando para eliminar a discriminação seja ela cultural, racial e/ou ideológica e para tanto, não poderá se restringir ao assistencialismo. À Responsabilidade Social também deve caber à promoção do desenvolvimento sustentável incluindo em suas práticas a visão tripolar do mundo, levando em consideração na sociedade, a economia e o meio-ambiente.


Isso posto, a Responsabilidade Social pode ser definida como a íntima convicção social que determina norma ou conjunto de obrigações, ainda que não reconhecidas como matéria de Direito Formal, mas que pertencem ao campo da ética dos princípios ideais da conduta humana. É o processo resultante do desenvolvimento de posturas éticas inerentes aos estágios de evolução de determinados grupos/instituições/organismos sociais.


Na verdade, é no exercício da cidadania que se dá sua melhor definição. À medida que exercemos a Responsabilidade Social em seus mais variados níveis, seja como cidadãos comuns, empresas, comunidades, instituições governamentais e outras, é que podemos nos permitir compreender, com mais propriedade, as diversas questões que hoje são formadoras de exclusão (e o que fazemos individual e coletivamente para perpetuar esses esquemas) e ajuda-nos a intervir, de forma positiva e mais consciente, criando redes inclusivas.


A Psicossociologia já afirma que para se mudar algo no social é necessário mudar o seu significado, suas representações e logo, seu simbolismo no sentido coletivo. O Exercício da Responsabilidade Social pode ser uma importante ferramenta nesse sentido, trazendo idéias inovadoras, dando diferentes sentidos e arranjos a coisas antigas, pode construir o novo. Em ações coletivas inovadoras – inclusivas – construímos a capacidade de exercer a cidadania tanto a nossa como a do “outro” e com ela, todas as responsabilidades que lhe são inerentes, inclusive a social.
*Mestre em psicossociologia e consultora de empresas

Referências:

DALLARI, D. Direitos Humanos e Cidadania. São Paulo, Moderna, 1998.
GRAJEW, Oded. O que é responsabilidade social. Mercado global. São Paulo, Ano 27 nº 07, junho de 2000.
MAGALHÃES, N. O. B. Catálogo de Serviços do Terceiro Setor – A inserção do Design de Moda no âmbito da Responsabilidade Social. (Monografia de Bacharelado) – Design de Moda – Faculdade SENAI/CETIQT, Rio de Janeiro, 2007.

Um comentário:

Simone Amorim disse...

Provocação: Afinal qual é a ligação entre Cidadania e Responsabilidade Social? Me parece que a associação não é algo tão natural como o texto pretende fazer crer. Sugiro que o tema continue em pauta. Cordialmente,